Treinar as emoções pode parecer bizarro ou até impossível, mas não é. Os actores fazem-no, as crianças fazem-no ainda melhor ( nunca viram uma birra?), algumas mulheres treinam  orgasmos. Dir-me-ão que isso é  fingir. Sim  e não. Todos esses contextos implicam investimento emocional, todos eles pressupõem um ganho.
Tenho dito à Maria que quando começar a sentir o aperto no peito  vá fazer uma coisa que gosta. Claro que a Maria pode praticar isto porque costuma sentir a ansiedade em casa. Ir fazer uma coisa que gosta ( subverter a dieta, telefonar à  namorada, etc) significa escolher um bom estado emocional. A soma  das duas posições – ansiosa/prazenteira –  não será tão boa como a neutral/prazenteira mas será muito melhor do que ficar sentada no sofá a sofrer. E isto faz toda  a diferença.
Advertisements