Piedade gostava de a ouvir, deixava-se embalar pela magia das palavras e, quando chegava  casa, apesar de cansada e a cair de sono, ainda tomava nota de algumas nos seus cadernos. Piedade gostava de palavras como se gosta de pessoas. E tinha a certeza que era  nelas, (…), que estava a salvação do mundo.”

in Se perguntarem por mim digam que voeiAlice Vieira
Advertisements