Daquilo que é significativo na nossa vida, mal nos damos conta, e isso não é por certo coisa que interesse aos demais. Que sabe um peixe acerca da água em que nada durante toda a sua existência?

O que é doce ou amargo chega-nos do exterior; já o que é difícil vem de dentro, como resultado no nosso próprio esforço. Durante a maior parte do tempo, faço aquilo que a minha natureza me impele a fazer, e torna-se embaraçoso ser objecto de tanto respeito e afecto por algo assim. É verdade que também cheguei a ser alvo de ódios; mas esses nunca me atingiram, pois de certo modo provinham de outro mundo, com o qual não tenho quaisquer relações.

Vivo numa solidão que é dolorosa quando se é jovem, mas agradável nos anos de maturidade.

Albert Einstein, «Auto-Retrato» (1935), in «Como Vejo a Ciência, A Religião e o Mundo»

Advertisements